QUEM ESTOU

Minha jornada vem sendo guiada por perguntas como "o que vai me fazer estar mais conectada à vida que pulsa dentro e fora de mim?" A cada novo dia, uma nova resposta. E assim vou, passo a passo, criando uma vida mais viva.

FADADA AO SUCESSO

Minha vida profissional começou fadada ao sucesso. Faculdade, estágio, empregos e salários promissores. Eu me peguei me perguntando algo que imagino que voçê se pergunte também: afinal, o que era sucesso pra mim?

Em busca de ampliar minha visão de mundo, voluntariei em comunidades agrícolas no deserto israelense e na Green School, escola referência de sustentabilidade em Bali. A experiência com permacultura, vida em comunidade, espiritualidade e educação me levaram a me engajar com a transição planetária pela qual estamos passando. De volta ao Brasil em 2012, me formei como designer para a sustentabilidade no Gaia Education.

O INÍCIO DO PROPÓSITO

Impulsionada pelas respostas que recebi pelo blog que escrevi durante a viagem, comecei a escrever como  jornalista freelancer para publicações como Vida Simples, Superinteressante e Projeto Draft, falando sobre mudanças de paradigmas, dei consultoria em sustentabilidade em escolas, facilitei processos semanais em educação emocional no Ensino Médio, e em 2013 idealizei e fundei a Casa Sou.l, um espaço no Rio de Janeiro que anfitriou centenas de encontros sobre sustentabilidade, empreendedorismo, educação e auto-conhecimento, com facilitadores do mundo inteiro.

A PODA FAZ CRESCER

O que mais me fazia viva ali era a troca com pessoas e fui percebendo que eu não precisava de espaço físico para viver o que me fazia viva. Em 2014, a Casa Sou.l passou então a ser um projeto itinerante no qual eu oferecia vivências em parceria com outras pessoas. Por quatro anos co-criei e sustentei processos de auto-investigação sobre educação e coerência profissional, ancorando projetos como Semente, Salto e Transborda.

Dedicada em me aprofundar no que faz sentido pra mim, me formei em coaching, aprofundei as investigações com Comunicação Não-Violenta, iniciei a formação no Pathwork® (na qual sigo engajada). Em parceria com a Perestroika, facilitei dezenas processos de auto-investigação para mais de setecentas pessoas

 

Ao longo de quatro anos, facilitei mais de 80 processos individuais apoiando pessoas a terem vidas profissionais mais alinhadas com seus valores, processo que continuo fazendo com devoção.

 

Hoje, além dos atendimentos individuais, facilito o Transborda (meu xodó) no Rio, Porto Alegre, BH e Portugal e ofereço facilitações em  organizações.

escolha pelO QUE ME FAZ VIVA

Apoiar o outro me revela processos internos profundos. É um caminho de devoção.

 

Ter a honra de adentrar mundos internos é uma de minhas maiores escolas. Sou chamada para a coerência a todo momento.  Apoiar o outro em sua desconstrução e reconstrução é estar em constante reinvenção de mim mesma.

 

Depois de trilhar uma carreira tradicional, tirar um período sabático, empreender meu próprio negócio e ser autônoma, trabalhando em rede, estou experimentando desinvestir em rótulos que limitem minha atuação.

 

Esse processo de coerência com o que é verdadeiro me chamou a soltar as falsas estruturas externas e focar nas estruturas internas.

 

Hoje minha escolha é viver mais conectada à minha natureza, em comunhão com a natureza, em um sítio distante de grandes centros urbanos, em diálogo constante com a cidade.

 

Hoje estou Carolina Bergier, investigadora do que faz sentido para mim mesma.

Hoje faz sentido apoiar pessoas a viverem em coerência com suas próprias naturezas internas através de vivências, atendimentos individuais e facilitações.

 

Hoje está assim. Estou colada ao que é vivo e real agora, esse tem sido meu caminho.

  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle