Um 2019 para chamar de seu

Atualizado: 13 de Mar de 2019

Mais um ciclo terminando. Um ciclo único, no qual você passou por experiências inéditas, teve novos aprendizados, viu e viveu belezas e desafios. Um ciclo que não volta, mas que segue conosco.


Há 4 finais de anos eu e Gui investimos energia em colher aprendizados do ano que passou e em intencionar e planejar o ano que se inicia. Os resultados têm sido muito potentes pra nós e para as pessoas que se põem a fazer esse processo conosco — presencial ou virtualmente. Há 3 anos eu publico o passo a passo que utilizamos e esse ano sigo com o mesmo compromisso: te apoiar a promover um novo ciclo de muita beleza e evolução pra si.


Esse é um processo simples e que demanda energia e foco. É um momento importante para sua existência, honre-o como tal ❤


Minha recomendação para você se engajar nesse passo-a-passo é que separe um bom tempo para si (entre 4 e 8 horas, talvez valha tirar dois dias pra isso), tenha um caderno e lápis em mãos, um computador se você for de documentar coisas nele, algo gostoso de beber e algo que te relembre que esse é um momento sagrado: pode ser um incenso, cristal, uma boa música, seu altar… Fazer isso junto de pessoas queridas é um bônus que recomendo muito!

É provável que você sinta que diferentes momentos desse processo vão pedir diferentes maneiras de documentá-los.


A facilitação tem 2 partes: revisitar 2018 e projetar 2019. Sugiro que você leia primeiro toda a primeira parte antes de começar a responder e só depois de responder leia toda a 2a parte, pra você ao mesmo tempo saber por onde está caminhando e seguir com presença no passo atual, sem ficar pensando na resposta que quer dar daqui a 5 perguntas.


Vamos lá?


PARTE 1: REVISITANDO 2018

O objetivo desse primeiro momento é olhar para o ano que passou e colher aprendizados para seguirmos aprimorando nossa existência nessa vida. Dedicamos um bom tempo para esse momento, pois é daqui que vão surgir muitos insights e clarezas sobre o foco do ano que está começando.


Momento 1: Tuning in, convidando a energia da retrospectiva

Vale ver fotos, escutar as músicas mais ouvidas no seu ano ou qualquer outra coisa que vá te apoiar a entrar em contato com a energia de 2018, de janeiro a dezembro.


Depois de se conectar com o ano através desse estímulo, medite por alguns minutos, se conectando ao ano, relembrando as estações, os pontos marcantes, as conquistas, celebrações, desafios e dores vividas.


Momento 2: Olhando para 2018

Com o objetivo de ir convidando gradativamente as memórias e energias do ano a se apresentarem, responda a essas perguntas, anotando num papel as respostas. (Essas perguntas foram inspiradas na proposta da Marie Forleo para a colheita de aprendizados.)


Quais foram as coisas das quais mais me orgulhei em 2018?

Que erros cometi e que aprendizados levo?

Que vozes internas, histórias, padrões estou pronta para desapegar?


Momento 3: Aprofundando-se em 2018


1. OLHAR O QUE FOI REALIZADO

a. Caso você tenha feito um planejamento de 2018: Se você fez um processo de planejamento no ano passado no qual tenha definido as áreas de sua vida que desejava cuidar, olhe para seus objetivos estabelecidos por área, objetivo por objetivo, checando o que foi atingido, o que não foi atingido e o que aconteceu que não havia sido planejado, mas que de alguma maneira se relaciona com os objetivos que você havia se comprometido.


Eu e Gui adoramos nesse momento olhar pra nossa agenda, anotar o que vivemos mês a mês e também olhamos pro nosso financeiro do ano, vendo de onde veio e para onde foi nosso dinheiro. Isso nos ajuda a ter informações para refletir sobre o ano.


b. Caso não tenha organizado seu planejamento do ano dessa maneira ou não tenha feito um planejamento, sugiro que você observe as seguintes áreas da sua vida:


Saúde (seu auto-cuidado, incluindo corpo, mente, espírito, emoção)

Relações (amigos, família, companheirx)

Serviço (trabalho)

Lazer (viagens, hobbies, coisas que você faz por prazer)


Caso no ano que passou tenha sido de sua escolha focar em algo específico, como estudo, finanças, seu relacionamento íntimo, seus filhos… Vale uma área só para isso.


Depois de fazer essa divisão, olhe para seus objetivos estabelecidos ou desejados em cada área, checando o que você fez ou não para cuidar de cada um deles.


2. TANGIBILIZANDO

Por aqui, achamos que números podem nos ajudar muito a tangibilizar nossos feitos. Então a gente estabeleceu porcentagens por área da vida, colocando um número que nos parecia representar o tanto de compromisso que realmente tivemos com cada uma dessas áreas, a partir do que foi vivido durante o ano. Isso nos ajudou a ter ainda mais clareza.


3. VALORES DO ANO

No planejamento que sugeri no ano passado, chegamos também a valores norteadores do ano. Aqui vale revisitar esses valores e responder, para cada um deles: como cuidei ou não cuidei desse valor?


4. APRENDIZADOS

Escreva agora brevemente os principais aprendizados que ter ou não ter cumprido com os objetivos lhe trouxe.


O que aprendi com as realizações e desafios desse ano?


Por exemplo: na área de auto-desenvolvimento, eu havia me comprometido a fazer cursos presenciais, o que não aconteceu, pois priorizei estar mais tempo no sítio onde moramos. Aprendi com isso que cursos online e leituras estão sendo mais viáveis para mim hoje.


Percebi também que cumpri com objetivos e não com metas. Ou seja, cuidei do meu corpo, mas não da forma que eu havia achado que seria. Estudei bastante, mas não os cursos que eu havia definido.


Então para esse ano vou fazer metas mais amplas, pois aprendi que isso funciona melhor pra mim. (E vou te convidar a fazer o mesmo, pois percebi que isso se repete com muitas pessoas, mas vamos cuidar do passo a passo e já já chegamos lá.)


5. TROCANDO

Se você estiver fazendo esse processo com outras pessoas (AMO!!), sugiro que se reúnam em duplas e façam um exercício de escuta ativa, onde um vai responder a pergunta e o outro vai só escutar.


Sobre o que foi seu 2018? Quais as principais coisas que você leva desse ano? Quando você lembrar de 2018, quais serão as principais lembranças?


6. FINALIZANDO


Agora, depois de ter revisado seu 2018, sugiro que você responda a duas perguntas, escrevendo as respostas num papel:


1.O que foi vivido que foi bom e quero seguir investindo e evoluindo?

2.O que poderia ter sido melhor e quero passar a me comprometer mais a partir de agora?


7. CELEBRANDO e AGRADECENDO

Novamente, uma proposta de troca em duplas (ou com o papel, caso você esteja fazendo esse processo sozinho). Imagina que a pessoa na sua frente (ou o papel) é o ano de 2018.